Era um saguizinho muito sapeca que vivia em uma mata muito próxima a um vilarejo formada somente de chácaras, em cada uma delas um pomar com frutas deliciosas e de fácil acesso, até hoje ninguém consegue explicar porque a macacada não se fartava de tudo aquilo, é como se aquelas terras fosse um local sagrado ou até mesmo amaldiçoado na visão dos macacos, só havia um deles que vez ou outra invadia algumas daquelas árvores e se deliciava de algumas frutas, era o Jequinha chamado assim pelos proprietários.
Certo dia Jequinha pegou uma ameixa enorme não satisfeito com a polpa da ameixa decidiu comeu o caroço engoliu inteiro, pois não conseguiu quebrá-lo, quilo desceu garganta adentro e pesou em seu estomago, só que o problema ainda estava a vir, no dia seguinte aquele caroço entalou e não saia nem com reza braba, sua barriguinha foi crescendo e o danadinho rolava no chão de tanta dor, a macacada tentou de tudo, um deles tentou até introduzir o dedo em seu “Butufo” na intenção de ajudar, mas o caroço só saiu depois que o macaco pouco maior que o jequinha pulou em sua barriga e aquele caroço saiu rasgando tudo, foi um berro só, mais saiu.
Após este dia Jequinha adotou um hábito um tanto quando anormal, mas muito eficaz. Tudo que ele pretende comer ele enfia “Butufo” adentro, e se couber ele pode comer tranqüilo, pois sairá sem machucar.