Sábado(03-02-18), lá estavam no mini-ginásio do Parque São Jorge, os sócios do clube para votarem nos seguintes aspirantes ao cargo de presidente do Corinthians:Andrés Sanches, Paulo Garcia, Citadini, Felipe Zabelo e Romeu Turma.
Abraços fraternos, palavras afetuosas e sorrisos cordiais faziam parte do ambiente no início. Os torcedores vibravam:
-Ó, Ó, Ó, o Andrés já ganhou!- salientava um eleitor Andrés.
-Os sócios vão apoiar Citadini!- dizia um fã de Citadini.
-É Tuma! É Tuma! É Tuma na cabeça, gente!-gritava outro
-Paulo Garcia, neles! Paulo Garcia, neles!
-Hoje, vai dar Felipe! Felipão no Curingão.
Terminado a votação e depois do anúncio da vitória do Andrés o ambiente virou um inferno:
-Andrés, aqui não tem burguês!- gritava boa parte da oposição.
-Calma gente!- tentava acalmar a segurança do time.
-Não! Não! Não! Aqui Andrés não tem vez não!
-Calma gente!
A baderna cresceu guando um sujeito lançou cerveja na cabeça do presidente que, olhou de soslaio e nada reclamou para não azedar mais os adversários.
-Jogava outra coisa!-berrou um opositor contrariado.
-Por que outra coisa?
-Porque cerveja tá cara para gastar assim á toa.
-Foi na cabeça.
-Não valeu. Você jogava outra outra coisa.
-Que coisa?
-Aquele líquido parecido com cerveja.
Socos, pontapés e empurrões eram trocados entre seguranças e torcedores. Com medo dos revoltados, o novo presidente do Corinthians se escondeu no banheiro das mulheres para sorrisos dos opositores.
Ainda teve um zombeteiro que gritou:
-Vamos esperar!
-Esperar para quê?
-Para ver se o presidente sai de SAIA.
.