A TARTARUGA VOADORA

20 de Fevereiro de 2012 Maria Hilda Infantil 5103

Uma tartaruga queria muito conhecer terras estrangeiras. Um dia, estando ela num monte de areia depois de enterrar seus ovos, avistou um bando de patos selvagens que descansavam da longa viagem para fugir do frio do seu país. Os patos viajam sempre, vão a tantos lugares diferentes. Pensando nisso ela teve uma idéia: também iria viajar como os patos. Vagarosamente ela se aproxima do grupo e conta o seu projeto. O pato mais velho da turma disse:

- Isso é uma má idéia, uma loucura eu diria. A senhora vai demorar uma eternidade para conhecer todas as terras que nós conhecemos. Fique nesta bela praia para onde sempre poderá voltar.
A tartaruga, um pouco chateada com a conversa do velho pato, respondeu:

- Se eu voar não demorarei tanto tempo...

Dois patos jovens e afoitos, ouvindo a conversa, aproximaram-se dizendo:

- Nobre tartaruga, como não tem o poder de voar, nós estamos prontos para levá-la pelos ares para que conheça países maravilhosos. Somos jovens e fortes.

A tartaruga, feliz da vida, queria saber como eles fariam para levá-la pelos ares. Os patos disseram que era simples. Saíram e, depois de um tempo, voltaram com uma longa vara em seus bicos cada um segurando numa ponta.

- Vamos lá, distinta tartaruga, abra a sua boca e morda a vara, bem no meio, segurando bem com seus dentes para que nós levantemos vôo.

A pobre tartaruga foi suspensa no ar. Os bichos olhavam para cima admirados. Era um milagre. Uma tartaruga voadora. Em toda a história dos bichos jamais se ouviu falar de tal feito, de tal maravilha. Depois de um tempo de vôo os patos estavam cansados. A tartaruga era grande, muito pesada e não agüentando mais eles largaram a vara. A tartaruga caiu de costas ficando com as quatro patas para cima. Esta não é uma boa posição para uma tartaruga, pensava ela já sentindo os efeitos do sol. Ouvindo um estalar de galho seco quebrado pediu:

- Quem quer que esteja aí, pode me pôr na posição certa para que eu volte à minha praia?

Era um grande macaco que passeava por ali. Ele se aproximou e foi logo dizendo:

- Por que deseja o impossível? Eu vi você nos ares com aqueles patos tolos. Tartarugas não foram feitas para voar, caso contrário teriam nascido com duas asas e penas. E se eu não estivesse por aqui?

E desvirou a tartaruga, que envergonhada e a passos lentos, voltou para a praia, para o seu mar seguro onde nadava velozmente.

Passado um tempo, na época da desova, a tartaruga encontrou o bando de patos selvagens. Os dois patos, da fracassada viagem, perguntaram:
- Vai tentar a viagem novamente?

- Não. Como disse o macaco, se Deus quisesse que eu voasse teria me dado duas asas e não este casco pesado.

E enterrando seus ovos na areia, a tartaruga voltou para o seu lar verdadeiro, o mar.

(histórias que contava para o meu neto)


Leia também
"Feliz...dia...de...São João" ... há 3 horas

Quem dera ir mais além, cantar mais alto Sobre esse chão salgado onde na...
joaodasneves Poesias 4


No Vento da Literatura há 4 horas

Gosto da poesia quando chega de surpresa... Pode não ter beleza, mas q...
a_j_cardiais Poesias 27


Bendito Amor Eterno há 1 dia

Quando pensamos que Jesus disse que todo aquele que lhe foi dado pelo Pai, ...
kuryos Artigos 11


"Vendo" há 1 dia

Hoje vendo um corpo sem alma, e um extrovertido coração partido, uma ...
joaodasneves Acrósticos 7


"Te amo vinho tinto" há 1 dia

Tu meu querido vinho tinto, és e serás a minha inspiração, Ter o cop...
joaodasneves Poesias 9


Gradeados há 1 dia

O céu está logo ali, depois dessa janela enjaulada... Meu amor é qua...
a_j_cardiais Poesias 60