A vovó colhia flores no jardim ao lado do neto e ia dizendo a ele o nome de cada uma.
- Esta é uma rosa, este é um cravo, esta é a margarida, esta é a violeta. Viu querido, como são lindas?
O menino, distraído, olhava para o chão até que chegou a um canteiro de florezinhas azuis. Chamou a avó e perguntou:
- Vovó, qual é o nome desta florzinha azul?
- Ah! Esta é o miosótis.
- O nome é engraçado, mas ela é muito bonita! – exclamou o menino querendo saber quem deu o nome e o porquê da cor azul.

- Sabe, meu filho, diz uma lenda que quando Deus criou as flores ele não deu nome a nenhuma. Um dia, quando Ele apreciava as belezas do jardim do Paraíso, chamou Adão e lhe disse:
- Quero que dê nome a todas essas flores sem se importar com o tamanho.
- Assim será feito, meu Deus. – respondeu Adão com todo o respeito.
E Adão começou seu trabalho de nomear aquelas flores maravilhosas. O dia estava chegando ao fim. Adão fez a última checagem para ver se todas as flores estavam devidamente nomeadas como ordenou Deus. Surpresa! Faltava aquela flor branquinha que pedia a Adão: “nao-te-esqueças-de-mim. Ao que ele respondeu:
- Este será o teu nome.

O tempo passou. Adão foi expulso do Paraíso e chegamos ao tempo de Jesus pregando para todos. O Miosótis continuava a florescer. Os romanos prenderam e condenaram Jesus à crucificação. A mãe de Jesus, Maria, acompanhava o calvário do filho e ajoelhada ao lado da cruz ela derramava lágrimas de dor. As lágrimas da mãe caiam e molhavam as pequenas flores brancas que rodeavam a cruz.

A cada lágrima rolada dos santos olhos sobre elas a cor ia mudando de branco para azul, azul igual aos olhos de Nossa Senhora. E foi assim, meu netinho, que o miosótis ganhou a cor azul, o nome “não-te-esqueças-de-mim” ganhou de Adão.
Mas essa linda florzinha tem um nome científico: “Myosotis scorpioides” ou simplesmente Miosótis. Beijinhos, meu querido neto!

27/03/12

(histórias que contava para o meu neto)