Dó, ré, mi, fá, sol, lá, si,

Solfeja o sapo na lagoa,

Corre, corre gente boa

Hoje tem concerto aqui.


Tem rã coaxando em fá bemol,

Crocodilo bramindo em ré, dó, mi,

Cobra sibilando em lá, mi, sol,

Gazeia a garça em fá, lá, si.


Vem que já começa o tié

A cantar num fôlego só

Canção d’amor em dó, mi, ré,

Respondendo sua amada em mi, ré, dó.


Na lagoa deslizando

Grasna o pato em ré, mi, fá,

Embaixo d’água nadando

Ronca o peixe em sol, dó, lá.


Vem chegando o gafanhoto

A ziziar em ré, fá, mi,

Num balançado maroto

Desafia a cigarra em lá, sol, si.


Canta sabiá lá no seu canto

Uma canção em sol maior,

Enquanto uirapuru ensaia o canto

Na escala lá menor.


Canto vai, canto vem,

Passam as horas lentamente

E o concerto finalmente

Termina ao som dos grilos


Cantando uma canção de ninar

Para os que vivem na lagoa.

É verdade, meninada boa,

Todos vão dormir e sonhar.


18/10/05.


(texto infantil de Maria Hilda de J. Alão).