O burrinho

17 de Janeiro de 2013 MCSCP Infantil 710

O burrinho, triste, está
Mas nem tem tempo de chorar
O homem que guia a carroça
Nem o deixa descansar

Um dia, um menino que viu aquela situação,
Dirigiu-se ao carroceiro para tomar satisfação
E, humildemente, demonstrou toda a compaixão
Ao animal que era maltratado e vítima de exploração

"Senhor carroceiro, o burrinho tem alma também
Não pode ser tratado com tamanho desdém
Certa vez, o Mestre escolheu um jumentinho
E foi a Jerusalém montado no animalzinho

Olhe como está o seu burrinho,
Anda fraco e sofrido, coitadinho!
Ele sempre e sempre oferece ajuda,
Mas o senhor o trata com força bruta

Aprenda a cuidar dele com carinho
Ame-o e zele por seu bichinho
É verdadeiro o amor de um animal
É baseado em uma amizade incondicional

Ele não merece apanhar
Diga o que quer e ele o fará
Alivie a carga como Jesus nos aliviou
E lembre-se de que toda vida pertence ao Nosso Senhor"

Daquele dia em diante
O burrinho vive radiante!
Seu dono conheceu a Jesus
E é o Mestre quem os conduz.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Te Desejar Só, Não Basta há 11 horas

Fico aqui te desejando... Mas você bota tanto empecilho, tanta dificulda...
a_j_cardiais Poesias 40


Só Fale de Amor Com Sinceridade há 11 horas

Não faz mal nenhum você dizer para alguém: Eu te amo! Não faz mal ...
a_j_cardiais Poesias 26


"Confesso-te que..." há 17 horas

Ao perder um grande amor, Confesso que até chorei, Mesmo assim tudo ...
joaodasneves Poesias 7


Vida Pela Via da Fé há 19 horas

O que poderia o ministério da Lei sob o Antigo Testamento, fazer por si m...
kuryos Artigos 10


Para quem é a Mudança da Lei de Moisés há 21 horas

O apóstolo Paulo afirma que o crente não está sob a lei e sim sob a gr...
kuryos Mensagens 8


Cultivando Observações - 1 há 23 horas

Eu vivia arrastando silêncios, pelas plataformas da vida. Agora dispenso...
a_j_cardiais Poesias 31