Eu era estagiária, tinha 16 anos e havia uma colega muito legal, vivíamos juntas e eramos amigas, uma ocasião ela me convidou para passar o carnaval com ela em São Gonçalo, RJ - Porém me disse que todas as noites iríamos à igreja, ela não pulava carnaval, nem eu.

Minha colega era apaixonada por um garoto que se chamava Leonardo, era gemio e tinha um irmão o Leandro, isso mesmo igual à dupla sertaneja. Ela queria combinar um esquema de dizermos que íamos pra igreja, ela ficar com o Leonardo e eu com o Leandro, pois ele sempre atrapalhava o esquema dela. Eu sabia que eram gatinhos então aceitei, fui direto do trabalho com ela pra casa passar o feriado.

No sábado à noite descemos o morro e fomos até a igreja, nem havíamos entrado ainda, quando olhei vinha uns adolescentes descendo, estávamos meio que no meio da rua em frente à igreja, um rapaz veio na minha direção, e antes mesmo dela dizer meu nome ele veio e me deu um selinho, ops! apesar de eu ser "cara de pau" fiquei sem graça porque não sabia qual irmão era. Perguntei você é o Leandro?, não sou o Leonardo, ele respondeu, fiquei vermelha de raiva, porque minha amiga gostava dele. Em seguida fui apresentada ao Leandro, começamos a conversar e tal...

Minha amiga e os demais entraram pra igreja, iriam passar a noite toda lá, o Leandro me chamou pra dar uma volta, fui... andamos e conversamos um pouco, rimos, mas senti que ele queria sair fora, me dando desculpas, mas eu não deixei, disse que fui lá só para ficar com ele e depois de todos verem agente se afastar ele não ia me dar um "bolo" e me dispensar.

Ele parecia um pouco chateado, me levou para um terreno baldio e me encostou num muro que tinha e começamos os amassos, a minha sorte é que eu estava menstruada, senão ele teria me estuprado, pois não acreditou quando eu disse que era virgem. Depois de algumas horas nos esfregando, voltamos e entramos na igreja. Minha amiga tinha ido embora e eu nem sabia onde eu estava.

Tive que ficar lá esperando o dia amanhecer, com um monte de gente desconhecida em um local estranho. De manhã os próprios gêmeos me deixaram na casa dela. Ela ficou furiosa comigo, os dias seguintes foram horríveis.

Até hoje não entendi se ela ficou com inveja de eu ter conseguido ficar com o rapaz ou raiva pelo selinho que o outro me deu.