Chove forte la fora. O vento faz minha janela bater, mas eu continuo sentada no chão da sala. O computador de um lado, e um caderno do outro.
Um caderno meio capenga, na verdade. Cheio de rabiscos e uns textos inacabados, mas eu gosto dele. Gosto porque tem muito de mim, muito do que sinto.
Estou aqui há um tempão e eu nem sei o porquê. Minha cama não estava confortável o suficiente, eu acho. Virei de um lado para o outro, mas desisti de lutar contra a insônia.
Um trovão. Mais chuva. Tudo apaga. Meu celular diz que são pouco mais que 3 a.m. É quando eu percebo que tenho alguma coisa na mão. Uma foto. Ela caiu do caderno quando o peguei. É a foto que eu mais gosto... fica lá dentro pra me trazer inspiração, eu acho. Adoro a quantidade de sorrisos que tem nela. Mas um é especial... o sorriso dele. Sorriso que sumiu há algum tempo, sumiu de perto de mim.

Fecho os olhos e faço um pedido, praticamente em forma de oração: "Volta!".
Escuto um som meio incomum para o horário. Pássaros. Pássaros?
Abro os olhos e a luz me incomoda. Acho passei tempo demais em devaneio... fechei os olhos pelo que parecia ser só alguns instantes... mas já é dia. Pego o celular para ver que horas são, mas esqueço quando algo mais importante acontece: "1 nova mensagem de texto". Tem o nome dele nela. Meu coração vai a milhão, e por algum motivo idiota eu paro pra pensar se devo ou não ler.
"Saudades!" é tudo o que está escrito. Um sorriso vem sem que eu perceba. Sorrio de alívio. De saber que mesmo depois de tanto tempo, nós ainda sentimos a mesma coisa...