"Sinto a mão de Dan contra a minha boca. O meu grito de pavor é abafado, e talvez seja por isso que a palma de sua mão esteja tão quente, quase queimando os meus lábios, embora a sensação não seja ruim. Sinto o seu corpo enrijecido contra o meu, a sua respiração ardente arrepia os pêlos da minha nuca, embora eu não sinta frio.


Sua outra mão está na altura da minha cintura. Ela segura uma arma num ângulo de 90º. Percebo que nunca havia visto uma arma tão de perto, eu diria que ela é quase bonita. Preta e com um ar moderno, e com detalhes prateados que brilham com as luzes do salão. Sinto que se eu me mexesse um pouco poderia até tocá-la, mas não consigo, eu não posso sequer me mover.


Paralisada no abraço mortal de Dan a morte me parece certa, embora o seu abraço pareça surpreendentemente protetor. Só me resta olhar para frente, pois a sua mão ainda segura na minha boca me impede qualquer leve movimento da cabeça, e me deparo com outra arma. Era estranho que na primeira vez que eu via de perto tal objeto, ele já viesse em dobro. "

continua: http://quimera1.blogspot.com.br/2012/08/capitulo-3-recomeco.html