Capítulo 6 - Fim

14 de Agosto de 2012 Aydée Mercedes Juvenil 574

"A luz do sol entra por entre as persianas da janela do meu quarto, e parece que acordo de um sonho longo e perturbador, daqueles que você sabe que foi terrível, mas o qual não consegue recordar em detalhes.


Minha cabeça está mais leve, e meu corpo não parece mais tão dolorido. Eu me contorço, numa tentativa de afastar o sono, enquanto me envolvo ainda mais nos lençóis macios. Encaro o teto do quarto, e não encontro as estrelas, talvez seja a claridade que entra pela janela que as impede de brilhar, mas tudo me vem em flashes de memória.


De alguma maneira as únicas coisas que vêm a minha mente são Dan, meu quarto, fogo, carro, seringa, Dan, quarto de motel, Dan, banheira, seringa, carro, Dan, seringa, Dan. Sinto minha cabeça girar, mas não mais por estar dopada, e sim por perceber que nada foi um sonho, apesar de estar tudo tão confuso.


Eu me levanto, sem saber ao certo com o que irei deparar. Ainda estou usando o meu vestido e encontro minhas sandálias à beira da cama. Olho-me no espelho, e não resisto ao impulso de arrumar o cabelo. Procuro ao redor do quarto, não tenho bolsa nem nada, nem mesmo vejo meu pijama ao redor. Abro as gavetas da cômoda e elas estão vazias. Nem um único pente."

continua: //quimera1.blogspot.com.br/2012/08/capitulo-6-fim.html


Leia também
"Sou" há menos de 1 hora

Sou o livro sem palavras Sou a historia por contar Sou o céu sem estre...
joaodasneves Acrósticos 4


"Livro sem letras" há 2 horas

Meus livros já estão sem letras Meu papel sem cor Com a caneta vazia Q...
joaodasneves Poesias 6


Amor há 4 horas

Quando Jesus diz que aquele que o ama é quem guarda os seus mandamentos, o...
kuryos Acrósticos 7


ESTÁ TÃO ESCURO (poesia infantil) há 6 horas

Está tão escuro Por causa do muro O chão é duro Não bata o nari...
madalao Infantil 7


Amor de Primavera há 19 horas

Morena, quando tu flores, o verbo em ti, primavera, seguirá o caminho do...
a_j_cardiais Poesias 42


CICATRIZES há 1 dia

CICATRIZES Não se vive essa vida impunemente... Todo mundo, mais dia m...
ricardoc Sonetos 6