Capítulo 7 - Assassino

15 de Agosto de 2012 Aydée Mercedes Juvenil 632

"Eu não pude dormir. Eu não poderia dormir nem que eu quisesse. Se as imagens de meus pais morrendo já vêm a minha mente, sem eu nem ao menos fechar os olhos, o que me aconteceria quando eu adormecesse? Eu não suportaria aquele pesadelo novamente. Isso me apavora. Aliás, o que há de não apavorante na minha vida ultimamente?!


Permaneço sentada no sofá, no mesmo lugar em que Dan me deixou envergonhada. Eu encaro o vazio da sala, perdida em sua escuridão. Ela não parece tão diferente da minha vida. Eu não sei que horas são, ou há quanto tempo continuo aqui, no entanto estou paralisada pelo medo e pela dor."

continua: //quimera1.blogspot.com.br/2012/08/capitulo-7-assassino.html


Leia também
Poema Rosa Para um Dia de Sol há 5 horas

A Rosa Emília A Rosa que an...
a_j_cardiais Poesias 32


Poema Suado há 5 horas

Estou num deserto de inspiração... Nada passa por aqui... Nem ladrão. ...
a_j_cardiais Poesias 28


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 3 há 7 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 6


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 2 há 8 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 6


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 1 há 8 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 6


""Ser deficiente, não é o final"" há 1 dia

Nos somos todos iguais, E ao mesmo tempo diferentes, Somos todos normais,...
joaodasneves Poesias 13