Capítulo 9 - Dor (parte 1 e 2)

19 de Agosto de 2012 Aydée Mercedes Juvenil 579

"Minha mente parece entorpecida. Vejo as árvores passarem rapidamente pela janela do carro, que segue em seu caminho veloz. Essa cena me é estranhamente familiar. O pano que envolve meu pé já adquire uma coloração avermelhada, no entanto, quando o desenrolo para ver meu ferimento, contendo minhas náuseas, ao vê-lo dilacerado, percebo que o sangramento está diminuindo.


Aperto novamente o pano ao redor do meu pé, tentando estancá-lo. Não que isso me importe realmente, apenas tento não sujar o carro da polícia.


Os policiais continuam no banco da frente sem conversar, olhando para a estrada adiante. Eu jamais conseguiria chegar à delegacia, uma vez que ela é no caminho oposto do que eu tomara ao fugir do hospital, e parece ser incrivelmente longe.


Contenho-me de fazer perguntas quando o policial desvia da estrada, entrando numa trilha de areia por entre as árvores, que mal poderia ser vista por qualquer pessoa na estrada. E nem preciso, pois o motorista, se desviando para me olhar, ainda sorrindo, diz:


__Espero que você não se importe de não ir para a delegacia."

continua: //quimera1.blogspot.com.br/2012/08/capitulo-9-dor.html


Leia também
PLEONÁSTICO n°2 há 13 horas

PLEONÁSTICO n°2 Encarasse de frente, não soslaio... Talvez, olhos no...
ricardoc Sonetos 4


ANTIFACISTA há 15 horas

ANTIFACISTA De irrestível apelo aquela união De fortes se fazendo 'in...
ricardoc Sonetos 4


A rua me aceita como sou há 18 horas

A rua me aceita como sou (Livro Poesias Reflexivas- Antonio Ferreira) N...
pfantonio Poesias 54


Não seja superficial há 19 horas

Não seja superficial (Antonio Ferreira-Livro Poesias Reflexivas) Olhe ...
pfantonio Poesias 70


"Dia do amor" há 21 horas

Amanhã é o dia reservado ao Amor, E a fragrância das flores confunde-s...
joaodasneves Poesias 12


"Estou triste" há 1 dia

A noite se instala em mim. Lá fora, apenas o silêncio da noite e o teu o...
joaodasneves Poesias 14