"Encaro o teto do quarto sem saber se acabo de acordar ou se realmente tudo acontecera. No entanto, ainda posso sentir o cheiro de Dan em meu corpo, seu toque e meus lábios ainda lembram seus beijos.


Abraço-me ao travesseiro, perdida na escuridão do quarto. As imagens e as sensações que haviam me invadido nessa noite inesquecível me invadem para meu suplício. Não me recordo de ter sentido isso antes. Nem mesmo por Marcelo. Nem mesmo acreditava ser capaz de sentir algo semelhante.


O que acontecera? Num segundo eu me encantava com os fogos de artifício e no outro estava nos braços de Dan. Eu não sei o que teria acontecido se ele não tivesse me afastado. Eu não me responsabilizava por mim mesma. Nos braços de Dan, minha consciência se esvaíra e eu apenas conseguira me concentrar no que ele me fez sentir.


E fora maravilhoso. Indescritível. Mas ele fugira. Por quê? Eu me entregara de corpo e alma, eu me oferecera, e Dan me rejeitara. Nunca poderia imaginar que eu ainda sentiria tamanha dor. Agora parece me faltar um pedaço, o único que realmente valia a pena. Sinto-me vazia, desamparada, mas incapaz de chorar, o que só aumenta minha dor, pois não posso libertá-la. Quando mais preciso da antiga Manuela, ela me abandona."

continua: http://quimera1.blogspot.com.br/2012/09/capitulo-16-fel.html