"No silêncio do meu quarto, fecho os olhos para que o sono venha e me abrace, me levando para longe dessas águas turbulentas. São três horas da manhã, e continuo a rolar na cama, escondendo-me nos lençóis, com minha cabeça embaixo do travesseiro, tentando esvaziar minha mente para que eu possa dormir. Mas é impossível.


Não há como minha mente não ficar pensando em mil e uma coisas simultaneamente, e nem ao menos tenho o sono ou a companhia de Dan para afastar meus medos. Sentando-me na minha cama, desistindo de esperar pelo sono encaro o quarto à minha volta. Está tudo escuro, e me vejo tentada a descer as escadas.


No entanto, não sei se estou preparada para mais um dos meus encontros noturnos com Dan. Eles nunca tiveram bons resultados. E muito menos agora seria diferente."

Continua: http://quimera1.blogspot.com.br/2012/12/capitulo-28-caminhos.html