"É estranho que eu me veja rodeada pelas mesmas pessoas que estavam comigo na primeira vez que eu vira Dan, exceto por ele não estar aqui, nem ao menos estar respirando o mesmo ar que eu respiro em algum lugar no mundo.


Já faz duas semanas que eu soubera de sua morte, completando um mês que eu o vira pela última vez, e sentira o toque dos seus lábios por apenas um milissegundo, do qual eu jamais me esqueceria.


Talvez eu já soubesse que nós nunca mais nos encontraríamos, mas o consolo de saber que ele vivia em algum lugar no mundo, sentia o mesmo sol dourar sua pele, a mesma brisa bagunçar seus cabelos, e o mesmo ar preencher seus pulmões ainda me traria alguma felicidade. Ou talvez a dor, amenizada pela esperança de um dia nós nos reencontrarmos, seria menor."

Continua:http://quimera1.blogspot.com.br/2012/12/capitulo-29-quimera.html