A NOTICIA

 A cidade estava em festa, era o centenário da
mesma. Todos os habitantes estavam comemorando na rua principal, o prefeito
Dave discursava do alto de um palco, mas a algazarra era tanta que não se ouvia
uma palavra do que ele dizia. A comemoração transcorreu sem nenhum problema, já
passavam da meia noite quando os habitantes começaram a se retirar, indo cada
um para suas respectivas casas.                                                                                                                
Era sábado, e os homens tinham o costume de se
reunirem no bar do Joe, além do dono, o bar possuía duas outras funcionárias,
Sally, uma garota ruiva de vinte e poucos anos e Gloria, uma cinquentona gorda.



-Traz mais cerveja, Sally. – pedia um
homem louro, um pouco mais velho que ela.



-Vocês não acham que já beberam o
suficiente por hoje? – perguntou ela, apontando para o centro da mesa onde se
encontravam quinze garrafas vazias.



-Relaxa. – era Dan, o namorado
de Sally. –Hoje é sábado.



 No momento que Sally ia falar, ela foi
interrompida por uma notícia de última hora apresentada no telejornal local.



-segundo os meteorologistas, uma
chuva de meteoro se aproxima da cidade, a previsão é que ela caia amanhã. –
dizia Jennifer, a garota do tempo. –Agora passo a palavra ao senhor Dave.



-eu venho por meio deste, informar
que o nosso shopping ira abrigar todos que quiserem se proteger dos meteoros.
–anunciava o prefeito. –O prédio possui um andar subterrâneo, que será capaz de
abrigar a todos. Obrigado pela atenção.    Os habitantes começaram a preparar as
coisas para levar para o shopping.



-Vamos fechar. –falou Joe.



 Os clientes do bar pagaram a conta e
foram para casa.



                                                      ***



-Mikhail, vá arrumar as suas coisas.
–dizia Anton, o seu pai. –Não perca tempo, vamos sair dentro de uma hora.



 Mikhail não falou nada, apenas foi
tomar banho, acabando por volta de vinte minutos mais tarde.



-Pai, nós vamos levar o que? –
perguntou.



-Os documentos, dinheiro, livros e
algumas roupas. – respondeu o senhor Anton.



 E meia hora depois eles deixaram a casa
rumo ao shopping. O movimento em frente ao mesmo era grande. De dentro do
shopping, o prefeito orientava as pessoas para que elas entrassem com mais
calma. Mikhail e seu pai formam os últimos a entrar.



                                          ***



-Agora que todos estão aqui,
sigam-me. - disse o prefeito.



 O prefeito os guiou até uma porta
dupla, que possuía uma placa onde estava escrito: ACESSO RESTRIDO.



-É por aqui. –falou abrindo a porta.



 Assim que todos entraram, o prefeito
trancou a porta.



-A previsão é de que a chuva ira cair
dentro de vinte minutos. –falou Eva, uma mulher negra.



-Vamos todos morrer. – dizia gloria.



-Não diga asneiras. – era Raphael, um
estudante do ensino médio quem falou.



-Se acalmem. – pedia o prefeito.



-A chuva chega em dez segundos, se
preparem. – falou Harry, o delegado.



 Todos se seguraram em alguma coisa,
esperando um forte impacto. Então dez segundos depois, eles ouvem um forte
estrondo atingir o lado de fora. Cerca de quarenta minutos depois do barulho,
eles começaram a se retirar do shopping. Dan foi o primeiro a sair, os outros
saíram logo depois.



 Assim que eles saíram, eles
perceberam que não tinha o menor sinal de fogo nas ruas.