Eu e ele eramos completamente diferentes. Eu lia a livros, ele ia a festas. Eu escrevia, ele assistia a jogos de futebol. Eu vinha e ficava, ele vinha e ia. Eu amava, ele gostava. Eu precisava, ele não. Eu chorava, ele sorria. Eu fingia estar bem e ele ficava bem. Eu concordava, ele descordava. Eu era o sim e ele o não. Eu era o pra sempre e ele era o agora. Eu era uma eterna amante, e ele era apenas mais um ficante.