Quando nos conhecemos, sob uma noite estrelada; Ela me disse que se sentia só, e eu pude enxergar naquelas palavras, o desejo de ser aquele a quem ela recorreria, se necessário. Me jurei ser o pilar que a sustentaria e que daria a ela um motivo para viver, se já não tivesse um. Supriria todas as suas necessidades e aliviaria suas dores. A situação estava sob o meu controle - imaginei. Só não cogitava que seria eu quem precisaria da sua companhia, e sem notar, de repente me via tão só quando não estava ao seu lado. Me dava uma vontade enorme de sentir aquele sentimento do que é realmente viver que só sentia, quando estávamos juntos. Eu me vi uma propriedade exclusiva de seus anseios. Me vi pertencendo mais a ela que a mim. As noites ainda são estreladas, mas agora, estou sobre elas, muito além das estrelas.