Ela era demasiadamente impulsiva, ao passo que ele era – na mesma proporção - paciente. Ela era romântica, ele escondia bem seus sentimentos, mas não significava que não os sentia. Ela ria o tempo todo e ele só ria dela. Ela era centrada, enquanto ele achava que o amanhã sempre era o melhor dia pra começar. Ele tinha um cheiro bom e ela o adorava. E em meio a esse contraste, eles sempre encontravam um ponto onde se compreendiam.