Vivemos hoje amores plastificados
Qualquer toque é impossível
E a tensão é infalível
Por um polímero isolados

Não há remédio que traga cura
Qualquer contato é inviável
E o medo é inevitável
Mas a atitude é madura?

Refrão:
Não! E não há como evitar
Amores plastificados
Aonde é que isso vai parar?

Deixe-me tocá-la! Preciso sentir você
E não esse látex
Por que meu corpo arde,
Quase grita pra te ter.

Toque-me! Você tem que me sentir
O que há por trás da Vênus
Tudo – nem mais nem menos
Já não há porque fugir.

Refrão:
Não! E não há como evitar
Amores plastificados
Aonde é que isso vai parar?

Não! E não há como evitar
Amores plastificados
Será que isso vai parar?