Fielmente (Journey - FAITHFULLY)

25 de Novembro de 2013 Jackson Rubens Letras de Música 860

"Eles dizem que a estrada não é lugar pra se começar uma família."

Eu estava sentado à frente de um pequeno bar ao lado do velho estacionamento de caminhões, pouco distante da periferia da cidade, e ouvia no rádio uma canção que me lembrava dos tempos de adolescência, do amor que senti por uma garota daquela mesma cidade que agora era tão distante pra mim.

Mirei o olhar para a reta e me lembrei de como eu me via num futuro próximo: Acompanhado de uma doce senhora ao meu lado, à qual eu pudesse chamar de 'minha pequena', talvez com um ou dois filhos e viajando pro norte no velho Road Train que herdei do meu pai.

O Sol se punha, e a melodia da música se misturava com a vermelhidão do céu e a sequidão do ar que me fazia, ás vezes, tossir. Eu ainda sentado l, sem dever nada e, sem ter nada a receber.

Pequei minhas chaves e me acomodei no banco acolchoado da única família que me restara, o caminhão. Comecei a rodar. Era linda a paisagem noturna, os faróis aconchegantes me abraçavam.

"Me ajude a colocar os pés de volta ao chão!" pedia eu para o deus que meu pai me ensinou a acreditar. "Me ajude, eu estou meio pra baixo!" apreciava o modo com que eu era ignorado, e olhava para a pequena foto de uma garota.

A que havia tocado me coração.

No colegial.

A da cidade que estava ficando para trás enquanto eu aumentava o volume do rádio.

A foto estava ao lado do porta-luvas. Os olhos, o sorriso.

Desviei de volta à pequena cidade onde crescemos e decidi que seria minha última tentativa, ou carregaria esse peso para minha cova. Eu fui meu próprio herói naquela noite, eu voltei lá.

Eu acelerei rumo a sombra que o Sol havia deixado, com o coração quente gritando pela garota da foto. Eu ia pegá-la e partir, ela decidiu me amar, decidiu amar um músico.

Ela estava me esperando, correu até mim quando desci do caminhão. Sujo, rasgado e alegre. Eu era dela, sempre fui. Fielmente. Éramos dois estranhos se conhecendo e voltando a amar. Subimos na máquina. Só se pode ouvir o som dos pneus deixando o asfalto para trás, e ali, nós três, começamos nossa jornada.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Vem me dominar... há 2 horas

Adoro me sentir dominado por você! Sentir-me teu objeto amado,desejado e ...
anjoeros Poesias 7


Seduza-me... há 2 horas

Vem tirar minha toalha, vem me ensaboar por completo, me seduza,engula,de...
anjoeros Poesias 6


Minha satisfação é a tua satisfação há 2 horas

QUISERA PODER LER TUA MENTE...SABER O QUE POSSO FAZER PARA TE SATISFAZER E ...
anjoeros Poesias 6


Doce invasão... há 2 horas

ME DEIXA INVADIR TUA CASA, TUA VIDA! ME DEIXA SER PARTE DE TI... ME DEIX...
anjoeros Poesias 6


# Muitas coisas sobre o tesão... há 2 horas

Todo mundo usa exaustivamente essa expressão que já virou lugar comum: te...
anjoeros Artigos 7


A ARVORE MALIGNA há 3 horas

Durante muitos anos venho me deparando com problemas nas famílias cri...
claviojj Crônicas 7