JESUS VIDA E REALIDADE


“A verdade vos libertarᔠ(Joao
8:32)



A verdade que é Cristo nos conduz
a realidade que é a Ele mesmo, e a 
realidade que é Ele mesmo,nos conduz a verdade de todas as coisas
eternas


O que há de  errado com a cristandade moderna? Paris
Reindheard, famoso evangelista norte americano já tinha percebido que a
tendencia do homem religioso é buscar cultuar um deus utilitarista, uma especie
de divindade serva, que possa suprir todas as necessidades hedonistas e
humanistas do próprio homem. Ele também afirma que a satisfação pessoal é o
centro da religião humanista. Reindhard então complementa: “O deus utilitarista,
que dispõe dos meios para satisfazer nossos desejos egoístas, esse é o deus do
cristianismo pragmático, um falso evangelho, tão parecido com o verdadeiro, que
engana os mais descuidados”



 Quando Cristo morreu pelos pecados do homem
eleito, Ele morreu para dar vida abundante. Aquele que é mais sublime do que os
céus, que tem as chaves da morte e do inferno, é o sumo sacerdote dos bens
futuros, de fato tem vida abundante para dar. Jesus porém fala de uma
libertação pela verdade. Ora se a verdade liberta, então há uma prisão, um
carcere. Toda história humana está pautada na luta pelo poder, a avareza e a
sede pelo fama, domínio, posição etc, tudo isso tem sido um calabouço enorme,
que prende o coração do homem. Quando Jesus sendo Soberano, aquele que tem
escondido em si mesmo todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento, vem
como servo, pra ser humilhado, pra lavar os pés dos pecadores, tocar o esquife
dos defuntos, morrer  numa cruz. Parece
que os  homens, na sua maioria, mesmo os
mais dotados de um senso religioso, não perceberam a lição. Jesus vem libertar
o homem das amarras do materialismo escravizador. Onde estiver o seu tesouro
ali estará o seu coração. Cristo nos convida a viver uma nova realidade, aquela
que é possível viver nesse mundo, com satisfação, sem precisar ser escravo
consumista ou alienado ao materialismo passageiro e egoísta de nossos dias.
Creio que o conforto, bens materiais (não em excessos) de uma forma bem
equilibrada, não é um pecado. Ter um carro novo não é um pecado. A questão não
é o ter o necessario, mas fazer do materialismo o ingrediente necessario para a
felicidade terrena. O portal que Cristo abre, pela sua vida derramada, nos
eleva para algo mais completo, mais elevado. Nossos bens verdadeiros são  aqueles que levamos conosco na nossa partida
dessa vida. O proprio Cristo Salvador ensina que é bem aventurado aqueles que
morrem no Senhor, porque as suas obras o acompanham. Alem disso, a grande lição
de Cristo nos evangelhos e em todo o Novo Testamento, é que ele é tudo, Paulo
escreve aos Colossenses e diz que Cristo é tudo em todos. A verdade libertadora
dos evangelhos nos conduzem para um DEUS que deve ser adorado, não por aquilo
que Ele pode dar, mas por aquilo que ele é. Além disso, a vida em Cristo começa
com simplicidade e tem a sua culminancia em completiitude. A questão principal
das nossas lutas por sentido da vida, é que não 
há realização plena nem satisfação verdadeiro dentro do coração, se
não  existir dentro de nós verdadeira
humildade.  O coração que tem Cristo
entronizado, anda pelos caminhos da humildade, pelos vales do quebrantamento e
avança de glória em glória. Nossa riqueza e nossa verdadeira prosperidade é ter
Mais de Cristo formado em nós, ainda que o modo como isso aconteça seja em
pleno deserto, e com feridas expostas na nossa existencia. Pra ser feliz não é
necessario ter tudo que o mundo dá, mas é preciso ter sempre mais de Cristo, se
quisermos experimentar uma alegria progressiva. Não acho que seja sábio, lutar
por questões materiais como se elas fossem tudo o que desse sentido a nossa
existência. A vida de Salomão não 
termina em uma plenitude de felicidade, em hipótese alguma. Mas no
sacrifício de Cristo, mesmo na mais radical exposição de vitupério que o
salvador enfrentou na morte no madeiro, o eleva para a a experiencia da
glorificação. Por isso não vejo dificuldade em concluir que em Cristo estão os
segredos da verdadeira ciência espiritual, é nele eu encontramos todos os
princípios de sabedoria  eterna. Assim, a
lição do Salvador bendito, quando  diz
que devemos ter como modelo de adoração, adorar a DEUS em espirito e em verdade,
ele fala de plenitude de existência. Adorar a DEUS em espirito e em verdade, é
adora-lo  independente de
circunstancias.  Porque DEUS é três vezes  santo, a plenitude de vida o sentido correto
da vida está NELE. DEUS não  existe para
nos servir, somos nós que existimos para servir a ELE. Nesse mundo imerso em
trevas e tanta confusão, onde a mensagem de um evangelho distorcido avança a
passos largos, onde a enfase sobre um deus servo, que se dobra aos caprichos do
coração humano, tem sido um perfil da divindade tão proclamado por todas as
partes, manifesto meu repudio sobre toda essa distorção do  cristianismo. O homem normal olha as coisas
centralizando a si mesmo sobre uma fração da sua própria existência, e tenta
coordenar a vida nesse sentido. DEUS não olha dessa maneira, ao enviar seu
Filho unigênito,  Ele quer mudar o
destino eterno das almas perdidas. Jesus não morreu na cruz apenas para
satisfazer os caprichos egoístas de uma ideologia pragmática e humanista. Isso
seria uma blasfêmia, se associasse a redenção e o sacrifício da cruz à
satisfação egoísta do  ser caído.  Ao romper da aurora dos tempos, Cristo
estabeleceu para sempre o triunfo da luz e da misericórdia sobre todas as
trevas, o império da morte e do pecado. Aquele cujo o rosto brilha como o sol
na força do seu  esplendor, o meu Senhor
e  Salvador, me ensino de modo enérgico,
que a verdade me libertaria.  E na medida
em que comecei a perceber que preciso me libertar dos embaraços ideológicos
criados pelo homem sem Deus, descobri a força dessa declaração. Não sirvo a
Deus porque Ele me dá conforto, bens, saúde, etc. Sirvo e adoro a Ele,
porque  Ele é Deus.  Foi nesse sentido  que 
compreendi as riquezas da graça, a longanimidade e a misericórdia desse
Deus Santo, três vezes santo. O satisfação pessoal de uma verdadeiro cristão é
a pessoa de Cristo, o  sentido pleno da
vida é servir a Deus em Cristo, e servir a Cristo em Deus, como disse o Dr Roy
Lawrence, em um artigo na revista Verdad Y Vida: Não há nada em Jesus que não
seja semelhante a Deus, e não há nada em Deus que não  seja semelhante a Jesus” Servir a Deus e
obedecer aos seus princípios, se constitui no mais resistente cimento que
pavimenta a plenitude da felicidade. A plenitude da existência e a plenitude
das coisas eternas. Em Cristo, Por Cristo e Para Cristo, sejam todas as coisas
verdadeiras.  Amém


“Cristo é o fundamento da
verdadeira esperança, e o principio de toda a fé verdadeira”


Clavio Juvenal Jacinto é Pastor
da Igreja Evangelica Caminho da Paz na cidade de Paulo  Lopes SC 
CONTATOS  claviojj@gmail.com ou (48) 3253 0825  (48) 9622-8870