“6 E o Senhor disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante?
7 Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar.” (Gên 4.6,7)

Deus impõe ao homem o dever de ter domínio sobre os seus desejos, isto é, ele deve ter domínio próprio ou auto controle.
A razão disto se deve ao fato de que o homem foi criado para viver e proceder conforme a vontade de Deus, de maneira que não seja e pratique aquilo que seja contrário à Sua vontade divina, isto é, que seja dominado pela força do pecado.
Debaixo de fortes pressões, num mundo dominado por sexo pervertido e lascivo, violência, arrogância, desrespeito, vanglória e toda sorte de circunstâncias contrárias à vontade revelada de Deus em Sua Palavra, a alma piedosa tende a definhar e a ser, ela própria impelida por tais desejos pecaminosos, e então interpõe-se a necessária e obrigatória existência do fruto do Espírito Santo do domínio próprio (Gál 5.22) porque o auto domínio meramente humano não tem o poder de eliminar o desejo senão apenas de abafá-lo.
Daí importa que o espírito humano que é a sede deste domínio próprio, que deve governar os desejos da alma, seja ele próprio dominado pelo Espírito Santo, de maneira que se tenha o governo divino conduzindo o espírito do homem a ter domínio sobre a sua alma em desejos santos e agradáveis a Deus.
Consequentemente não se pode ter uma tal bênção, sem vigilância e oração contínuas que nos mantenham permanentemente na presença de Deus, tendo poder em graça no coração, de forma que este esteja purificado de toda má consciência e formas de impurezas, quer da carne, da alma ou do espírito (II Cor 7.1; Hb 10.22).
Como seria possível alguém manter sua paz de mente e espírito, quando debaixo de uma circunstância contínua difícil e perturbadora, sem estar em plena comunhão com o Espírito Santo? Esta comunhão contínua com o Espírito é necessária porque o domínio próprio que extingue a fonte dos desejos pecaminosos é o próprio Espírito Santo em governo sobre o nosso espírito.