“Levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo” (II Coríntios 10:5)

Nosso pensamento é um mundo dentro do homem interior, ele possui um espaço tão amplo quanto o que se encontra fora de nós. A imaginação, o cognição, o intelecto, faz parte desse mundo. Entendemos que na esfera da vida cristã, temos uma intimidade com Cristo “Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor”(I Coríntios 1:9). Ora a comunhão com Cristo se dá pela via da rendição. Se há algo que é difícil de dominar, algo pelo qual temos pouco controle, este é o pensamento. A palavra de Deus precisa encontrar guarida dentro de nós, sem ter a palavra dentro do coração, não podemos praticá-la de forma eficiente, “Guardei os caminho do Senhor”(II Samuel 22:22) podemos guardar os caminhos, quando retemos seus estatutos, princípios, doutrinas e vontade. Paulo ensina que deve habitar ricamente a palavra de Cristo em nossos corações (Colossenses 3:16) nosso homem interior precisa ser cristocêntrico, essa é a base da verdadeira espiritualidade, sem Cristo ter completo domínio d nossa mente, pouco podemos progredir na vida cristã. Sem guardar com firmeza a Palavra de Deus (Jó 23:12) não poderemos avançar rumo a vida cristã vitoriosa. Essa vida só é possível quando nosso entendimento é levado cativo a Cristo, ou seja, Ele torna-se Senhor de nossa mente, e o nosso pensamento torna-se servo de Jesus Cristo. Isso é uma questão de vida interior (Veja Deuteronômio 6:6)
A capacidade da nossa visão espiritual é forte, ampla, quando Cristo tem o controle do nosso pensamento. Seus ensinos iluminam nossa mente, entenderemos onde está o engano. Visão é discernimento e discernimento é visão. Não há como receber um discernimento eficiente, se Cristo não for o Senhor do nosso pensamento. Não há como alcançar um pensamento santificado se a Palavra de Deus não encontra terra fértil dentro de nós. Quando pensamento está cativo, prestamos a máxima atenção, cultivamos a melhor devoção, temos o maior cuidado em lidar com coisas espirituais. Não haverá, por exemplo, divagações na hora de ouvir uma mensagem, a pregação e o culto será absorvidos com amor e prazer pela mente espiritual. O coração do homem santo está voltado para o prazer da Palavra de Deus e tudo o que tem intimo relcionamento a ela. Quanto mais temos da Palavra de Deus, mais teremos luz, e quanto mais luz teremos, mais veremos a supremacia de Cristo nas coisas espirituais, sem Ele não podemos fazer nada (João 15:5) Essa luz fornecida pela Palavra de Deus enche nossa coração das glórias do Salvador “O mandamento do Senhor é puro, e ilumina os olhos”(Salmos 19:8) Os olhos do entendimento do homem que tem seu pensamento cativo a Cristo experimenta a visão espiritual, enquanto ao ímpio, ele sofre de cegueira. O raciocínio do homem adâmico, a lógica do homem adâmico é insuficiente para contemplar as grandezas da redenção e as glórias do Salvador. O deus desse século cegou o entendimento dos incrédulos (II Coríntios 4:4) “Porque estes mandamentos são lâmpadas, este ensino é luz”(Provérbios 6:23)
A Palavra de Deus é viva e eficaz, ela penetra no homem interior (Hebreus 4:12) toda a sua suficiência denota ao homem uma comunhão plena com o Deus e uma sabedoria muito mais elevada do que as ciências desses mundo. Ora a sabedoria terrena é animal e diabólica (Tiago 3:15) mas a sabedoria divina é perfeita, por isso mesmo todo o pensamento cativo a Cristo é um pensamento elevado. É cativo das coisas celestes, torna-se mais puro, na medida em que guarda, medita e pratica os preceitos divinos (Salmos 119:9).
Todo o salvo procura encher seu coração da Palavra de Deus, pois todo o cativo é obediente. Não pode haver opostos nessa realidade. Quando Paulo diz que devemos levar o pensamento cativo ao Senhor, isso significa plena obediência a sua vontade. Sua vontade só pode ser observada, quando lemos, meditamos e guardamos seus preceitos e seus ensinos. Ter a mente cativa a Cristo é colocar nossa imaginação, nosso pensamento, nossa vontade, tudo debaixo do senhorio de Cristo, pela Palavra de Deus. “Gravai estas minhas palavras no vosso coração e na vossa alma”(Deuteronômio 11:18) reter a Palavra, guardar e viver a Palavra, Levar nosso pensamento cativo a Cristo e em troca teremos a liberdade de filhos de Deus obedientes, “Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus”(Romanos 8:19) Essa sujeição a Cristo será a bendita libertação para a glorificação dos redimidos. Satanás opõe-se tenazmente e trabalha com a ilusão e com o engano. Ao distorcer a palavra de Deus ele produz o engano, quando perturba o coração do homem ou cega o entendimento deles, então o resultado nunca será a obediência, mas o engano. Quando cativo a Cristo, somos obedientes, quando cativos ao engano desobedecemos ao Senhor. E a desobediência sempre será o resultado da mente dispersa ou alienada pelo engano. Quando retemos e praticamos, isso fortalece a nossa vida espiritual, o contrario é o enfraquecimento, a ilusão e a cegueira espiritual. Devemos ir a Cristo, entregar completamente nosso coração ao seu controle, o Espírito Santo nos ajudará nessa boa tarefa, o Consolador nos fará lembrar tudo o que o Salvador ensinou (João 14:26) Ter uma mente cativa à Cristo e viver debaixo de seu controle e domínio pela Palavra de Deus inspirada. (Leia Romanos 10:8)

Autor: Clavio J. Jacinto