Que sejamos, nas mãos de Deus, instrumento de consolação, para aqueles que necessitam de conforto.
E que esta consolação não seja apenas de palavras de apoio e de conforto, mas acompanhadas pelo poder operante do Espírito Santo nas mentes e nos corações.
Não uma consolação passageira, que tal como a nuvem agora é, e de repente não mais existe, mas com a única consolação que é efetiva e duradoura, que é achada no próprio Senhor Jesus Cristo, juntamente com o testemunho das Escrituras, como vemos, por exemplo, em textos como o de Romanos 15.4:
“Pois tudo quanto, outrora, foi escrito para o nosso ensino foi escrito, a fim de que, pela paciência e pela consolação das Escrituras, tenhamos esperança.”
Veja que se diz do que foi escrito desde há muito tempo para o nosso ensino, ou seja, esta verdade não é algo novo, inventado pela imaginação dos homens.
E também se diz que tem o propósito de acharmos a paciência e a consolação destas Escrituras Sagradas, para que tenhamos esperança.
Na Bíblia encontramos tudo o que é necessário para fortalecer o coração que se encontra abatido, pois ali achamos o registro dos grandes feitos miraculosos de Deus, a revelação da Sua misericórdia e dos Seus juízos.
Quando vemos quão grande, poderoso e amoroso é o Deus que servimos, então achamos paz e descanso para as nossas mentes e corações.

No texto de II Tessalonicenses 2.16 lemos que é o próprio Deus quem nos deu uma consolação eterna e uma boa esperança, pela graça.
“Ora, nosso Senhor Jesus Cristo mesmo e Deus, o nosso Pai, que nos amou e nos deu eterna consolação e boa esperança, pela graça,” (II Tes 2.16)
Não é nenhum anjo ou homem que nos dá tal consolação e esperança, senão o próprio Deus.
É achando a Cristo, convertendo-se a Ele, e andando com Ele e dando honra aos Seus mandamentos conforme estão revelados na Bíblia, que se acha também a verdadeira consolação e esperança, não somente para os momentos difíceis de nossas vidas, mas para todas as horas e para a eternidade.
Veja que o texto de II Tes 2.16 diz eterna consolação.
E uma tal consolação só pode ser achada num Consolador Eterno, a saber, em Deus mesmo.
Por isso nosso Senhor Jesus Cristo, o grande e primeiro Consolador que nos foi dado por Deus Pai, nos enviou outro Consolador, depois que subiu ressuscitado ao céu, e este outro Consolador é o Espírito Santo.
Assim, os que estão se sentindo fracos e abatidos, que possam ter suas forças renovadas, se fortificando na graça que está em nosso Senhor Jesus Cristo.
Que clamem a Deus nas horas de aflição, para que achem o conforto e a força, que procedem dEle, especialmente para suportarem as dores e injustiças que todos padecemos neste mundo.
É possível louvar ao Senhor e estar alegre em meio às aflições, porque o poder do Espírito Santo nos concede tal graça, para a glória e louvor de nosso Senhor Jesus Cristo, por meio de quem obtivemos acesso a tão grande consolação.
Ele é o Único e Grande e Infalível Consolador.