“O Senhor nossa Justiça" (Jeremias 23.6)

Sempre dará ao cristão a maior calma e paz, pensar na perfeita justiça de Cristo. Quantas vezes os santos de Deus ficam tristes e abatidos! Eu não penso que eles deveriam ficar. Eu acho que eles não ficariam caso sempre pudessem ver a sua perfeição em Cristo. Há alguns que estão sempre falando sobre a corrupção e a depravação do coração, e da maldade inata da alma. Isto é verdade, mas por que não ir um pouco mais longe, e lembrar-se que estamos “perfeitos em Cristo Jesus.” conforme se afirma em Colossenses 1.28. Não é para se surpreender que aqueles que se debruçam sobre a sua própria corrupção apresentem um olhar cabisbaixo; mas certamente se nós trouxermos em memória que "Cristo é feito para nós justiça", então teremos bom ânimo. Embora angústias me aflijam, embora Satanás me ataque, embora possa haver muitas coisas a serem experimentadas antes de que eu vá para o céu, estas coisas são feitas para mim no pacto da graça divina; não há nada faltando em meu Senhor, Cristo fez tudo isto. Na cruz, ele disse: "Está consumado!" e se foi concluído, então estou completo nele, e posso exultar com alegria indizível e cheia de glória", não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que é mediante a fé em Cristo, a justiça que vem de Deus pela fé. "Você não achará deste lado do céu um povo mais santo do que aqueles que recebem em seus corações a doutrina da justiça de Cristo. Quando o cristão diz: "Eu vivo somente em Cristo; eu descanso exclusivamente nele para a salvação; e eu creio que, por mais indigno que eu seja, eu ainda sou salvo em Jesus;" então levante-se com um motivo de gratidão neste pensamento - "Eu não viveria para Cristo? Não hei de amá-lo e servi-lo, vendo que eu estou salvo por seus méritos?" "O amor de Cristo nos constrange", “que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu." Se somos salvos pela justiça imputada, vamos valorizar muito a justiça comunicada.

Texto de autoria de Charles Haddon Spurgeon, traduzido e adaptado pelo Pr Silvio Dutra.