Há momentos na vida que podemos dizer juntamente com o apóstolo Paulo:

“Porque não queremos, irmãos, que ignoreis a tribulação que nos sobreveio na Ásia, pois que fomos sobremaneira oprimidos acima das nossas forças, de modo tal que até da vida desesperamos;” (II Cor 1.8)

Então meu amado, minha amada, nós achamos na Bíblia este testemunho de que pessoas que foram muito amadas por Deus, passaram por momentos muito difíceis tal como eu e você já experimentamos, ou que ainda possamos estar vivendo.
Mas olhemos para o exemplo das vidas de um Paulo, de um rei Davi, de um profeta Jeremias, de um José no Egito, e de tantos outros.
E olhemos para o exemplo deles, para fazer o mesmo que fizeram nestas horas difíceis de aflição: Eles olharam para Deus, e oraram, e contaram com as orações de seus irmãos, conforme vemos nas palavras de Paulo em II Cor 1. 9-11:

“9 portanto já em nós mesmos tínhamos a sentença de morte, para que não confiássemos em nós, mas em Deus, que ressuscita os mortos;
10 o qual nos livrou de tão horrível morte, e livrará; em quem esperamos que também ainda nos livrará,
11 ajudando-nos também vós com orações por nós, para que, pela mercê que por muitas pessoas nos foi feita, por muitas também sejam dadas graças a nosso respeito.”

Juntemos então a nossa oração nesta hora, e busquemos no Senhor, força, socorro e livramento.

“Pai amado, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, te peço: Dá-te pressa em socorre-me querido, porque minha alma se encontra enfraquecida e angustiada.
Não há em mim mesmo força ou capacidade para vencer o mal que me aflige.
Dá-me alívio e paz, e fortalece-me com a tua graça.
Tu és o Deus fiel e verdadeiro que não pode mentir, que tem prometido nos livrar no dia da angústia, como dizes na Tua palavra:

“Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará.
2 Direi do Senhor: Ele é o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio.
3 Porque ele te livra do laço do passarinheiro, e da peste perniciosa.
4 Ele te cobre com as suas penas, e debaixo das suas asas encontras refúgio; a sua verdade é escudo e broquel.
5 Não temerás os terrores da noite, nem a seta que voe de dia,
6 nem peste que anda na escuridão, nem mortandade que assole ao meio-dia.
7 Mil poderão cair ao teu lado, e dez mil à tua direita; mas tu não serás atingido.
8 Somente com os teus olhos contemplarás, e verás a recompensa dos ímpios.
9 Porquanto fizeste do Senhor o teu refúgio, e do Altíssimo a tua habitação,
10 nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda.
11 Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos.
12 Eles te susterão nas suas mãos, para que não tropeces em alguma pedra.
13 Pisarás o leão e a áspide; calcarás aos pés o filho do leão e a serpente.
14 Pois que tanto me amou, eu o livrarei; pô-lo-ei num alto retiro, porque ele conhece o meu nome.
15 Quando ele me invocar, eu lhe responderei; estarei com ele na angústia, livrá-lo-ei, e o honrarei.
16 Com longevidade de dias fartá-lo-ei, e lhe mostrarei a minha salvação.” (Salmo 91)

É verdade Senhor, o que é dito neste Salmo 91, porque nenhum dos que em ti confiaram foi abandonado ou ficou confundido, porque são muitas as tuas promessas de livramento, conforme a que lemos também no Salmo 50.15:

“invoca-me no dia da angústia; eu te livrarei, e tu me glorificarás.”

Então estou invocando o teu nome Senhor, na minha angústia, na certeza de que me livrarás, e eu te glorificarei porque o Espírito Santo encherá o meu coração e lábios de louvores pelo teu livramento.

Eis que espero tão somente em ti, porque é vão o socorro do homem.

Confio no teu amor, na tua bondade, na tua misericórdia e na tua justiça.

Eu te agradeço desde agora, e sempre darei graças ao teu santo nome, porque estou bem certo de que voltarás a alegrar o meu coração, e ainda te louvarei na congregação dos justos.

Obrigado Pai amado pela Tua santa presença, que me fortalece e conforta.

Obrigado por teu Filho amado Jesus Cristo, em nome de quem te oramos.
Amém!