Se entregue a loucura. Alguns seres se entregam à loucura. Mas para qual objetivo? Não há objetivos. Se houvesse objetivos não seria loucura. Há vários tipos de loucuras. Comentemos algumas.
A loucura do amor, a mais comum. O amor cega, machuca, alegra, entristesse, fornece todos os sentimentos possíveis. São todos sentimentos que acabam provocando a loucura. A loucura do amor mata, machuca e causa sofrimento. Ás vezes. A loucura do amor está ligada a confiança? Quem sabe, ela não pode ser apenas maligna...
A loucura do medo que apavora que também cega, procura uma fuga dessa loucura sufocante. Sanatórios a parte. Pânico, respiração curta, batimentos fortes, suor frio, o que mais essa loucura pode provocar? E quem disse que somente essa loucura provoca tudo isso? A loucura do amor também provoca? Apenas quem experimenta pode responder.
Analistas, mestres analistas que procuram entender a loucura alheia. Loucura é doença? Doença mental? Doença que corrói o espiríto?
Mas, como diz o mestre Millôr Fernandes: "A única diferença entre a loucura e a saúde mental é que a primeira é muito mais comum". Reflitemos.