Entre quatro paredes me encontro. Fico sozinho comigo mesmo e sou capaz de criar as loucuras da minha vida, como se fossem coisas normais.
Paredes azuis, contrastadas com o móvel rústico quase amarelo, uma mesa onde a química, a física, a matemática e demais matérias se fazem presentes, uma montanha de livros e bem ao lado, um criado mudo.
Um criado onde dentro das gavetas guardo meus dicionários, meus textos, quase minha vida...
Deito na cama e quando me olho, estou pensando em algo que aconteceu ou que deveria ter acontecido. Noto o mural de idéias que é meu quarto.
Ouço um barulho longe, com a porta fechada me sinto sozinho e esse sentimento me faz melhor do que sou. Gosto quando fico “só” e sinto a adrenalina de ninguém poder estar comigo no quarto pelo menos por um instante.
Chega a ser excitante!
Bebo um pouco de água, encosto-me no travesseiro, pego um livro.
Leio.
O sono chega me arrebata mais rápido do que o esperado.
Reflito.
Durmo.
Sonho com as coisas mais inesperadas.
Tic-Tac! Tic-Tac!
Um novo dia!

"Se você tivesse acreditado na minha brincadeira de dizer verdades, teria ouvido verdades que teimo em dizer brincando. Falei muitas vezes como um palhaço, mas nunca desacreditei na seriedade da platéia que sorria."

http://momentuns.blogspot.com/