Amizades verdadeiras são construídas na sinceridade. É respeitar crenças diferentes, estar presente nos momentos importantes rir e chorar junto. É dar uns petelecos quando necessário, e num momento de tristeza, deixar as lágrimas rolarem juntas num abraço. É compartilhar segredos profundos, falar nojeira, não esconder costumes, dar muita risada, saber perdoar erros, crescer com tudo. Nunca fui a amiga ideal, sempre fui distante, sempre achei que minha amizade era algo insignificante, mas mudei, me tornei mais segura, gosto mais de mim, do que me tornei. E agora vou dar o meu melhor para manter as pessoas que amo por perto, as que se afastaram, bom, dessas vou guardar as boas lembranças, mas não vou insistir no mesmo erro novamente. Agora é assim, não vou passar por cima do meu orgulho, pra manter uma amizade que já se desgastou por pessoas que não sabem o seu lugar, que mentem para manter os demais por perto, isso é ridículo! Prefiro contagiar as pessoas com a minha alegria, já mais com o meu drama... Quero pessoas alegres, que me contagiem, sei ser triste sozinha!
Milan Kundera, escritor tcheco, escreveu em seu último livro, “A Identidade”, que a amizade é indispensável para o bom funcionamento da memória e para a integridade do próprio eu. Chama os amigos de testemunhas do passado e diz que eles são nosso espelho, que através deles podemos nos olhar. Vai além: diz que toda amizade é uma aliança contra a adversidade, aliança sem a qual o ser humano ficaria desarmado contra seus inimigos.
Verdade verdadeira. Amigos recentes custam a perceber essa aliança, não valorizam ainda o que está sendo construído. São amizades não testadas pelo tempo, não se sabe se enfrentarão com solidez as tempestades ou se serão varridos numa chuva de verão. Veremos.
Um amigo não racha apenas o milkshake: racha lembranças, crises de choro, experiências. Racha a culpa, racha segredos.
Um amigo não empresta apenas o sapato. Empresta o verbo, empresta o ombro, empresta o tempo, empresta o calor e a jaqueta.
Um amigo não recomenda apenas uma música… Recomenda cautela, recomenda um emprego, recomenda um país.
Um amigo não dá carona apenas pra festa. Te leva pro mundo dele, e topa conhecer o teu.
Um amigo não passa apenas cola. Passa contigo um aperto, passa junto o reveillon.
Um amigo não caminha apenas no shopping. Anda em silêncio na dor, entra contigo em campo, sai do fracasso ao teu lado.
Um amigo não segura a barra, apenas. Segura a mão, a ausência, segura uma confissão, segura o tranco, o palavrão, segura o elevador.
Duas dúzias de amigos assim ninguém tem. Se tiver um, amém.