Apenas aquela sensação de que seu mundo está desabando e você não consegue mais segura-lo. Não sabe para onde correr ou se esconder e não encontra um abraço que possa protege-lo da dor. Apenas um medo inconsciente, um nó na garganta que não se desata. As horas e os dias que não passam e a vontade insana de avançar no tempo e deixar momentos que ainda não viveu para traz. Falta coragem, confiança, e você se assemelha à uma criança assustada com o barulho da chuva. Lágrimas prematuras escorrem de seus olhos e o grito sufocado continua preso e silenciado. Há uma vida do outro lado da porta, mas você tem receio de vive-la, não quer perder o pouco ou quase nada ainda lhe resta. Recusa-se sentir amado e tem aversão aos carinhos que tanto precisa receber. Tem pena de si mesmo e não quer que ninguém sinta o mesmo, continua escondendo a tristeza com um sorriso aberto e receptivo. Apenas sente um abandono repentino, uma solidão sem motivo aparente, apenas sente, sente como se nada mais importasse, mas continua negando qualquer tipo de sentimento. És apenas uma criança imatura precisando de colo, tens apenas um coração machucado que precisa amar, mas não sabe e não quer admitir.

-Autor Desconhecido