Foi hoje no final da tarde

22 de Março de 2012 André Anlub Pensamentos 341

Correndo pelo campo de tulipas, braços abertos e mãos espalmadas
uma leve garoa cai, refrescando meu quente corpo.
Paro de correr, e me deliciar com a chuva, para pensar em você.
Também paro de escrever, nesse escritório, para sonhar acordado com seus lábios.

Pois nada mais interessa nesse momento
quero rimar amor com prazer...

Tento voltar ao foco da minha escrita
seria um romance? – seria poesia?

E no desespero da causa, por mais que a mesma me machuque...
afogo-me em citações famosas, pois sei que você iria gostar
cito Shakespeare, Sartre, até amanhecer.

Choro, como bem sabe que é de costume
pois é a única que me entende, me ouve e me lê.

Mas retorno à mesa vazia
com as anotações, o charuto e a bebida.
E de saída, sinto como um aperto forte no peito
uma insanidade que sussurra ao ouvido...
O lamento e o esvaecer da minha vida.

André Anlub®

Site: poeteideser.blogspot.com
Poeteideser® - Pena & Pincel®

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Lembra? há 2 dias

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 21


Principio há 2 dias

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 13


Viandar há 2 dias

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 11


Fluxo do tempo. há 2 dias

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 14


Sou há 2 dias

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 12


Ame...! há 2 dias

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 11