Apenas mais uma despercebida na sociedade, anda pelas ruas solitárias de São Paulo, todo dia é a mesma coisa, acorda pela manhã, pega o metro lotado, enquanto você está lendo o seu livro de poesia as pessoas ao seu redor sempre vidrado no celular, apesar do metro estar lotado ainda sim é silencioso e solitário, você costumava ser igual a essas pessoas, sempre olhando o feed no Facebook, sempre se importando com quantas curtidas o seu post tem, se importando e sempre lendo os comentários, era apenas isso, checar as curtidas do seu Insta, Facebook ou seja lá o que for, a sua auto-estima era focada em apenas o que os outros pensavam ou falavam sobre você, o corpo era seu mas você não era a dona dele, os outros eram, sempre dizendo que você não poderia usar tal roupa por ser brega demais ou apenas por não estar na moda, a sociedade definia o que era melhor para você, mesmo você não gostando do que eles te falavam para vestir, as pessoas te machucavam dando opiniões não saudáveis pelo seu corpo, suas roupas, o seu jeito, ou a sua maquiagem, até a que ponto nós vamos deixar a sociedade falar o que a gente deve vestir, gostar ou como você deve agir? Você é mais do que um padrãozinho imposto pela sociedade!