O Céu será sempre azul para quem teme Voar

10 de Junho de 2012 Gui Rhabelo Pensamentos 696

Acreditar que há um propósito em tudo que há na vida implica em crer que a vida assemelha-se a uma estrada. Pois é cediço que toda estrada tem um objetivo. Trilhamos inúmeros caminhos, vez em quando me pergunto, entre outras coisas, se as ilusões são frutos do fato de não termos a nossa disposição um mapa extremamente confiável para nos orientar em nossa jornada ou se são obstáculos nas estradas?
Não acredito que nos iludimos devido a ausência de um mapa tampouco que a ilusão seja um “buraco na rodovia”. A ilusão é tão certa quanto o sonho. Ela é como um rio, que passa sob uma ponte, o sonho é mais amplo, é como um aeroporto. Entretanto o mesmo não deixa de ser o avião... que nos faz decolar e compreender que o céu não é o limite. Não para aquele que percebe que o céu pode ser, e é, muito mais belo.
Volto à estrada, para alguns seu fim é um “estranho conhecido”. A morte. Compreendo a lógica desse pensamento mas não corroboro com a ideia. Se há um fim para a vida esse ponto final é a própria vida. Seu propósito maior é vivermos. As várias veredas pelas quais passamos formam estradas de paisagens únicas. Se em meio a pousos e decolagens percebemos que temos medo de voar, medo de lugares altos, é provável que no instante em que nos decepcionarmos não atravessaremos a ponte, pois a ilusão saltará a nossos olhos como um abismo. E se temos medo de altura como andaremos sobre a ponte da superação?
Talvez haja pessoas que não sonham com medo de se iludir, mas que pecado! Não sabem que a maior ilusão é justamente não sonhar. Se o medo de voar é constante na vida de uma pessoa o resultado é simples e triste: Não será possível conhecer as cores do céu, e com os pés fixos no chão ela se ilude com a impressão de que o céu é azul, simplesmente azul. Essa malha de veredas que formam a “estrada da vida” não nos levará a lugar algum enquanto não superarmos o medo de voar.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
GRECO-ROMANO - Des-História Universal há 1 hora

GRECO-ROMANO Os deuses se confundem nas histórias Dos povos que se fun...
ricardoc Sonetos 7


John Owen - Hebreus 1 – Versos 1 e 2 – P4 há 4 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 5


John Owen - Hebreus 1 – Versos 1 e 2 – P3 há 4 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 6


John Owen - Hebreus 1 – Versos 1 e 2 – P2 há 4 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 5


John Owen - Hebreus 1 – Versos 1 e 2 – P1 há 4 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 7


"Ontem a noite" há 17 horas

Ontem pela noite Sentei-me no sofa A saudade batia-me no rosto A solidã...
joaodasneves Pensamentos 21