Morte.

30 de Dezembro de 2012 Lorrana Pensamentos 505

Odeio começar desse jeito, mas aí vai: Meu vizinho morreu.
Não que ele fosse muito próximo, ou que era meu amigo, mas mesmo assim não deixa de ser um choque.
Lembro-me que deixava a chave de minha casa na posse dele, e nesse ato então, passava e mostrava que tinha confiança em sua pessoa, não sei porque estou tão triste, não que eu seja uma pessoa fria, mas é porque eu realmente estou triste!
Nunca encarei a morte de perto desde que o meu tio faleceu, acho que fico bastante assustada porque talvez eu ainda tenho pensamentos infantis, a acho que tudo é eterno. Besteira. Tudo é instável.
Mas enfim, irei sentir falta de meu vizinho, ainda guardo com carinho a lembrança de algumas tardes na semana, em que estavas lá, lendo o seu jornal na sua cadeira de balanço, e seu neto brincando de bola na rua.. Eu estava em casa, estava segura.
Agora , sua cadeira está vazia no pátio.
E minha chave, nunca mais segura estará.


Leia também
"Grande Amor" há menos de 1 hora

Sabes do sol que brilha lá no céu? Sabes dos ventos, cá na terra, vento...
joaodasneves Poesias 2


Minha essência é a eternidade. há 10 horas

Manhã cinza dia tão estranho e ruim, Paira no ar uma sensação de fraca...
elisergio Sonetos 6


LAMPEJOS há 10 horas

LAMPEJOS Eu pouco a pouco volto à realidade. Ao acordar, lamento antes...
ricardoc Sonetos 7


Deixe Esse Amor Crescer há 1 dia

Deixe esse amor crescer... Ele está brotando em um coração árido. De...
a_j_cardiais Sonetos 37


Ás palavras não são mais meu legado. há 1 dia

Fiz-me silenciar por que te perdi! Tu me revogara a licença concedida, D...
elisergio Sonetos 8


Não há o que comemorar. há 1 dia

Não há de fato o que comemorar! A virgem do sertão não é independente...
elisergio Sonetos 7