Morte.

30 de Dezembro de 2012 Lorrana Pensamentos 514

Odeio começar desse jeito, mas aí vai: Meu vizinho morreu.
Não que ele fosse muito próximo, ou que era meu amigo, mas mesmo assim não deixa de ser um choque.
Lembro-me que deixava a chave de minha casa na posse dele, e nesse ato então, passava e mostrava que tinha confiança em sua pessoa, não sei porque estou tão triste, não que eu seja uma pessoa fria, mas é porque eu realmente estou triste!
Nunca encarei a morte de perto desde que o meu tio faleceu, acho que fico bastante assustada porque talvez eu ainda tenho pensamentos infantis, a acho que tudo é eterno. Besteira. Tudo é instável.
Mas enfim, irei sentir falta de meu vizinho, ainda guardo com carinho a lembrança de algumas tardes na semana, em que estavas lá, lendo o seu jornal na sua cadeira de balanço, e seu neto brincando de bola na rua.. Eu estava em casa, estava segura.
Agora , sua cadeira está vazia no pátio.
E minha chave, nunca mais segura estará.


Leia também
PLEONÁSTICO n°2 há 13 horas

PLEONÁSTICO n°2 Encarasse de frente, não soslaio... Talvez, olhos no...
ricardoc Sonetos 4


ANTIFACISTA há 15 horas

ANTIFACISTA De irrestível apelo aquela união De fortes se fazendo 'in...
ricardoc Sonetos 4


A rua me aceita como sou há 18 horas

A rua me aceita como sou (Livro Poesias Reflexivas- Antonio Ferreira) N...
pfantonio Poesias 54


Não seja superficial há 18 horas

Não seja superficial (Antonio Ferreira-Livro Poesias Reflexivas) Olhe ...
pfantonio Poesias 70


"Dia do amor" há 21 horas

Amanhã é o dia reservado ao Amor, E a fragrância das flores confunde-s...
joaodasneves Poesias 12


"Estou triste" há 1 dia

A noite se instala em mim. Lá fora, apenas o silêncio da noite e o teu o...
joaodasneves Poesias 14