Cegueira Espiritual

17 de Janeiro de 2013 MCSCP Pensamentos 386

Há momentos nos quais as nossas expectativas nos frustram e acabamos por ficar cegos(as) para as bênçãos que Deus nos oferece. A terrível mania de "querermos tudo do nosso jeito" faz com que nos esqueçamos de algo importante na nossa relação com o Pai, mas de que Jesus sempre nos lembra "Seja feita a Tua vontade".
A cegueira espiritual é consequência da fraqueza de nossa fé. Sem fé não podemos agradar a Deus nem ver seus milagres em nossas vidas. O antídoto para esse mal é procurar o "lado bom" de tudo o que nos acontece e termos a certeza de que o Pai permanece conosco. Isso traz esperança, conforto e força, pois somente assim podemos compreender:
Que é na escuridão que as estrelas brilham intensamente.
Que o veneno que mata é o mesmo que previne e cura.
Que, onde há sombras, a luz é sempre mais forte.
Que a dificuldade nos traz, espiritualmente, grandes oportunidades.
Que, no deserto, a pior solidão é a que nos aprisiona dentro de nós mesmos.
Que o medo mata nossos sonhos, mas que a fé concretiza nossas esperanças.
Que o amor, a fé, a misericórdia e a esperança dão frutos para a eternidade.

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem permissão do autor.

Leia também
Lembra? há 1 dia

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 10


Principio há 1 dia

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 9


Viandar há 1 dia

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 9


Fluxo do tempo. há 1 dia

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 10


Sou há 1 dia

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 10


Ame...! há 1 dia

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 8