Há sem sombra de dúvidas um demônio dentro de mim
Por várias vezes ele sopra ao meu ouvido
Propostas indecorosas,
Indecentes,
Provocantes.

Confesso que cedo a algumas
[morrendo de pavor]
E por incrível que pareça é sempre prazeroso

Por outro lado,
O medo apavora meu ser por esta cedendo a ele
Mas, de forma tão saborosa suas propostas soam aos meus ouvidos
E não resisto a quase que nenhuma delas

Pergunto-me
Anjo meu
Por onde estais que deixaste este tão insano demônio pairar sobre minha vida

É então que vejo
Que és tu meu anjo
O grande vilão
Sabes tão bem o que desejo que se camufla como demônio para ceder aos meus desejos
E não perder sua honra no céu

Pois bem,
Segredo guardado
Mas, por favor!
Cuidado...
Não é sempre que estou santo

Corres o risco de eu converter-te ao pecado que aflora de minh’alma.