Desisto

23 de Julho de 2011 BeMine Pensamentos 530

A possibilidade de nadar contra a corrente me afoga.
És um rio violento que me arrasta com tuas águas e lança-me no mar
e eu como tão pequeno que sou diante do teu furor,
esqueço-me de lutar e sou tragado para o teu ventre.

Lá desacordado,
já não sei quem sou,
se rio
ou seja lá quem for.

Quisera eu ser o mar,
Pois me levantaria em tormenta sobre ti.
Mas,
como não sou,
me entrego.

E mais uma vez segue vitorioso sobre mim,
Um pobre pássaro que admira em ti o reflexo de minha alegria.


Leia também
A rua me aceita como sou há 2 horas

A rua me aceita como sou (Livro Poesias Reflexivas- Antonio Ferreira) N...
pfantonio Poesias 30


Não seja superficial há 3 horas

Não seja superficial (Antonio Ferreira-Livro Poesias Reflexivas) Olhe ...
pfantonio Poesias 36


"Dia do amor" há 5 horas

Amanhã é o dia reservado ao Amor, E a fragrância das flores confunde-s...
joaodasneves Poesias 12


"Estou triste" há 13 horas

A noite se instala em mim. Lá fora, apenas o silêncio da noite e o teu o...
joaodasneves Poesias 13


"Estou cá a matutar" há 13 horas

Esses dias ando meio triste muito confuso, ando a querer isolar-me, f...
joaodasneves Pensamentos 9


A Humildade nos Cai Bem há 18 horas

Se o domínio total é do Senhor, porque o poder pertence a ele, isto dever...
kuryos Artigos 9