Pelo caminho existem diversas estradas que me levam a tantos lugares, lugares que não necessitam da minha presença e que nunca jamais saberão da minha existência, mas que não deixam de se jogar em frente ao meu caminho.

O que faço é desviar, as vezes pego atalhos, as vezes voltou para a estrada principal, mas sempre haverá esses lugares que nunca conhecerei, essas escolhas que nunca poderei viver.

É uma questão de curiosidade, independente do que seja, do que aconteça é uma escolha, algo a ser vivido, mas que se afoga e se perde quando não nos envolvemos por elas.

Cabe a mim filtrar e desviar disto, mas as vezes elas parecem se envolver com outras passadas, escolhas antigas que afetam as atuais.

Uma estrada chamada vida, que tem por sinônimo problema, e significado a verdade interior. Buscar conhecer a si mesmo para depois conhecer a vida por inteira. Mas qual será a consequência dessa escolha ?

De fato existem mais coisas entre o céu e a terra que possa imaginar, mas se me perco em escolhas, como vou conseguir criar um caminho por esse mundo confuso. Talvez eu esteja escolhendo deixa-lo confuso e difícil, e talvez tenha esquecido de como faço para mudar isso.

 Ou simplesmente minhas escolhas são um plano pequeno perto de algo maior que o universo.

 A dadiva da duvida.