No relacionamento humano, primordialmente existe uma permuta, uma troca
de interesses. Tudo tem que ser bi-lateral (desculpem o hifem, adoro
hifens e jamais os abandonarei) Portanto, o ato de amor é uma
reciprocidade, uma espécie de atração mútua para depois se tornar fatal
(rssss). No ato de vender, não existe aquela coisa de o freguez sempre
tem razão. Existirá sempre alguém querendo vender algo mas em
contrapartida terá que existir alguém querendo comprar. Quando um tem
que implorar ao outro para que compre o seu produto, ou no balcão quando
você tem que pedir pelo amor de deus o atendente para buscar um sapato
que lhe sirva, uma camisa que seja do seu agrado, não dá certo. Na vida,
no cotidiano, quando você simpaticamente, gratuitamente, oferece um
sorriso, você aguarda de pronto uma reação igual, pois do contrário se
sentirá frustrado por não receber de volta aquilo que deu. Não existe
nada de graça e assim, quando você entra numa loja, numa clinica médica,
num escritório de advocacia e toma um cafezinho, ou ele já está pago
por outros que o antecederam, ou então será incluido na sua conta.
Portanto, saiba "vender" bem tudo aquilo que você pode oferecer. A vida é
um grande e nojento camelodromo, um troca-troca em que ao menor
descuido você pode sair depenado, arruinado. Portanto, seja cuidadoso
até mesmo no momento de distribuir abraços e beijos.