As pessoas, hoje, não tem muita coragem de mergulhar no que realmente as assustam e preferem viver num mundo as avessas. É um medo que tira a disposição, a vontade de conhecer o próximo, um medo de se envolver, de se apaixonar, de amar, de deixar de narcisismo e amar outra pessoa, sim, digo: outra pessoa feito você, de carne e osso, de sentimentos e obscuridades. As pessoas não querem mais descobrir o encanto que há por trás de um olhar recuado ou de um sorriso sacana, elas tem medo, correm como o diabo foge da cruz. Dizem que é trabalhoso lidar com o outro, meu bem, trabalhoso é você ficar com um e outro e no final se sentir só por não ter ninguém com quem contar, não ter ninguém que te dê um ombro amigo onde chorar, não ter um abraço quando necessitar, isso sim é trabalhoso, é horroroso, diria. Vamos parar de nos assustarmos com o próximo, e vamos abrir uma brecha, deixa entrar e fecha a porta, se não te fizer bem, meu bem, convide-a a sair, mas tente, pois é disso que o mundo está precisando: Pessoas que estejam dispostas a tentar amar.