Todo mundo gosta da verdade, mas são poucas as pessoas que tem coragem de colocar o dedo na ferida, apontar e dizer o que acha, verdadeiramente. Com medo da polêmica, ou da rejeição, todo mundo cria um personagem e vive nele nas situações de medos extremos, é como se fosse um abrigo, uma proteção à parte de todo mal que o mundo possa oferecer. Ninguém quer que sua ferida, até então, intacta, seja rasgada e o sangue escorra, todo mundo protege, do jeito que dá, a sua ferida, seja escondendo-a ou não apontando a do outro.