Seus olhos verdes, menina,

Me lembram campesinos pomares

Com a qual, a grama tão verde e macia,

Me acomodo com graça!


Brilha o sol, 

Sua luz se reflete qual cristal

Numa gotícula de água que hidrata a grama. 

Os olhos também brilham,

A água o hidrata,

E a imagem do paraíso

Hidrata a alma do homem.


Brilhe, menina!

Hidrate o olho do corpo, e o olho da alma do homem.