Odres do alento

30 de Junho de 2014 Pr CJJacinto Poesias 228

Quando vem a brisa das montanhas

Nos mistérios desses perfumes puros

Oceano de sonhos, a tua lembrança

Como aqueles momentos marcantes

Que insistem em viver pra sempre


Tal voz que escoa da alma

O fértil mar de tantos odores

Como chuvas transportadas na saudade

No sopro que deu vida ao barro

Um momento que ressoa a vida


Assim meus odres se enchem

Não com coisas sem sentidos

Mas num soprar de velas de naus

Por dentro as brasas se acendem

E a fria alma se aquece e resplandece....


Clavio Juvenal Jacinto


Leia também
FRANCO-CANADENSE - Des-História Universal há menos de 1 hora

FRANCO-CANADENSE Desenharam um país de costa à costa À revelia entã...
ricardoc Sonetos 3


FRANCO-CANADENSE - Des-História Universal há menos de 1 hora

FRANCO-CANADENSE Desenharam um país de costa à costa À revelia entã...
ricardoc Sonetos 4


Oração ao Anjo da Guarda… há 1 hora

A fé é algo que aprendemos desde pequenos. Eis a importância de mostrarm...
anjoeros Poesias 5


O Xis da Questão há 2 horas

Não gosto de rimas forçadas. Apesar de que às vezes é preciso, para...
a_j_cardiais Sonetos 18


Seguir em frente... há 2 horas

Seguir em frente. Olhos altivos para seguir adiante. Celebrar as vitória...
anjoeros Poesias 5


Seguir em frente... há 2 horas

Seguir em frente. Olhos altivos para seguir adiante. Celebrar as vitória...
anjoeros Poesias 5