Odres do alento

30 de Junho de 2014 Pr CJJacinto Poesias 232

Quando vem a brisa das montanhas

Nos mistérios desses perfumes puros

Oceano de sonhos, a tua lembrança

Como aqueles momentos marcantes

Que insistem em viver pra sempre


Tal voz que escoa da alma

O fértil mar de tantos odores

Como chuvas transportadas na saudade

No sopro que deu vida ao barro

Um momento que ressoa a vida


Assim meus odres se enchem

Não com coisas sem sentidos

Mas num soprar de velas de naus

Por dentro as brasas se acendem

E a fria alma se aquece e resplandece....


Clavio Juvenal Jacinto


Leia também
"Estou triste" há 4 horas

A noite se instala em mim. Lá fora, apenas o silêncio da noite e o teu o...
joaodasneves Poesias 7


"Estou cá a matutar" há 4 horas

Esses dias ando meio triste muito confuso, ando a querer isolar-me, f...
joaodasneves Pensamentos 4


A Humildade nos Cai Bem há 9 horas

Se o domínio total é do Senhor, porque o poder pertence a ele, isto dever...
kuryos Artigos 8


Fuga da Inspiração há 10 horas

Preciso terminar um poema que comecei numa empolgação danada... Dep...
a_j_cardiais Poesias 39


Um Dilema há 11 horas

Estou aqui reclamando da minha "vidinha", enquanto tem alguém por aí que...
a_j_cardiais Poesias 38


Hebreus 3 - Versículos 7 a 11 – P 6 há 13 horas

John Owen (1616-1683) Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra ...
kuryos Artigos 16