O sangue esfria
O sangue queima
O tempo passou
E a minha vida simplesmente acabou.
A corda não arrebentou
Os cortes estavam abertos
O sangue espirrou
O ar se prendeu
Tudo se envenenou
E o sofrimento passou.
Por que eu passei por isso?
Por que eu?
Se é que a vida é boa,
Eu não tive o prazer de descobrir
A vida se tornou inimiga
E a morte amiga.
Por um segundo eu me indaguei
Se a minha existência pertubava a alheia.
Sem respostas, apenas o silêncio
O silêncio me enlouqueceu
O sofrimento me pertuba
A escuridão me engoliu
A depressão me corroeu
E a vida que antes me queria
Agora nem me desejas mais.
A vida me desejava
Agora, desistiu
Mas, ela nem se dava conta
Que eu simplesmente
Nunca existi para aqueles
Que um dia disseram me dar valor