Suicídio

18 de Agosto de 2011 Gisela Cardoso Poesias 406

O sangue esfria
O sangue queima
O tempo passou
E a minha vida simplesmente acabou.
A corda não arrebentou
Os cortes estavam abertos
O sangue espirrou
O ar se prendeu
Tudo se envenenou
E o sofrimento passou.
Por que eu passei por isso?
Por que eu?
Se é que a vida é boa,
Eu não tive o prazer de descobrir
A vida se tornou inimiga
E a morte amiga.
Por um segundo eu me indaguei
Se a minha existência pertubava a alheia.
Sem respostas, apenas o silêncio
O silêncio me enlouqueceu
O sofrimento me pertuba
A escuridão me engoliu
A depressão me corroeu
E a vida que antes me queria
Agora nem me desejas mais.
A vida me desejava
Agora, desistiu
Mas, ela nem se dava conta
Que eu simplesmente
Nunca existi para aqueles
Que um dia disseram me dar valor

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Obedecendo o Vento há 9 horas

As folhas caem, e eu quero falar sobre isso, sem me preocupar com o feiti...
a_j_cardiais Poesias 26


"Verão na Europa" há 11 horas

Hoje começou o verão Mas todos os dias, são dias de verão O verão na...
joaodasneves Poesias 5


"Maria Emília" há 13 horas

Meu amor Antes de tu nasceres Raramente eu pensava em ti Iria com o pass...
joaodasneves Acrósticos 7


"Sou" há 14 horas

Sou o livro sem palavras Sou a historia por contar Sou o céu sem estre...
joaodasneves Acrósticos 7


"Livro sem letras" há 16 horas

Meus livros já estão sem letras Meu papel sem cor Com a caneta vazia Q...
joaodasneves Poesias 8


Amor há 18 horas

Quando Jesus diz que aquele que o ama é quem guarda os seus mandamentos, o...
kuryos Acrósticos 8