A Imortalidade do Amor

24 de Julho de 2014 Pr CJJacinto Poesias 228

O amor não morre no caminho da vida

Segue sem ser observado nos momentos dificeis

Como se fosse estrela de noites escuras

Neve na rocha em sua brancura

Digo-vos: Nunca morre


O amor não morre na existencia do homem

mesmo na dor de um grande conflito

Ainda que o homem brade um grito

E perca a certeza nas horas de dores

O amor segue silencioso como as flores


O amor não morre com o sofrimento

Pode parecer ausente por alguns momentos

Ainda que os olhos estejam fechados, sem direção

O amor está lá, fora e dentro do corção

Imortal como o tempo, moldura da eternidade


Clavio Juvenal Jacinto


Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Lembra? há 4 horas

Quando o tempo nós pertencia dia e noite não existiam? Quando ainda...
enidesantos Poesias 9


Principio há 4 horas

Toda a humanidade repelida da perfeição Privada da perspectiva da ...
enidesantos Poesias 8


Viandar há 4 horas

Viver e caminhar eu gosto de tudo que a vida me da Gosto de viver e ...
enidesantos Poesias 7


Fluxo do tempo. há 4 horas

Boca devoradora do tempo que tudo vai apagando varrendo da vida todo o en...
enidesantos Poesias 9


Sou há 5 horas

o que quero e onde quero Meu palco é a vida Dela faço brotar o pr...
enidesantos Poesias 8


Ame...! há 5 horas

Apenas ame Não se infecte de amor Infecte-se de vida Queira vida D...
enidesantos Poesias 6