Teu cheiro confunde com meu cheiroParece até exagero, mas não receioDe exagerado ser.

No teu corpo sinto meus devaneiosMinha boca na procura dos teus seiosTeus lábios na fissura dos meusNa vontade eterna ou no fenecer.

Teu gosto é meu, de tal forma estupidaNa sensível grosseria aguda,Que tuas mãos me percorrem sem ajudaQue nossa confusão não tende a responder.

A moral cristã que nos persegue,Minha alma a tua foi entregue, não negue Estamos entregues bem mais Que só até o amanhecer.