Cheiro

04 de Agosto de 2014 Leonardo Koury Poesias 215

Teu cheiro confunde com meu cheiroParece até exagero, mas não receioDe exagerado ser.

No teu corpo sinto meus devaneiosMinha boca na procura dos teus seiosTeus lábios na fissura dos meusNa vontade eterna ou no fenecer.

Teu gosto é meu, de tal forma estupidaNa sensível grosseria aguda,Que tuas mãos me percorrem sem ajudaQue nossa confusão não tende a responder.

A moral cristã que nos persegue,Minha alma a tua foi entregue, não negue Estamos entregues bem mais Que só até o amanhecer. 

Esse texto está protegido por direitos autorais.
Cópia, distribuição e execução são autorizadas desde que citados os créditos.

Leia também
Equação do Amor há menos de 1 hora

Corre pra mim... Talvez eu ainda não saiba o que é o amor; Não tenha ...
a_j_cardiais Poesias 29


Qual é a Nossa Parte? há 9 horas

O conceito arminiano de que devemos fazer a nossa parte para que Deus pos...
kuryos Artigos 5


"Lagrimas" há 11 horas

Um silêncio triste e profundo Uma lágrima caiu Na tarde fria, e escura ...
joaodasneves Poesias 6


Realidade, Deixe-me Sonhar há 12 horas

Ah, realidade, realidade... Você não respeita minha privacidade. Vo...
a_j_cardiais Poesias 27


"és nada" há 16 horas

Como me pude apaixonar De um alguém como tu Passado pouco tempo pude con...
joaodasneves Pensamentos 8


"Ela mora" há 17 horas

A minha unica paixão é a solidão, ela vive na minha casa, e mora bem ...
joaodasneves Pensamentos 9