Frio é esse manto da noite

Como relva que cobre a vida

Mar de vestes brancas nas sombras

Lua que dança na madrugada


Vem esse dia  devagar

Mais um portal do futuro se abre

Nós despertamos nele

Entramos de corpo e alma


Mas frio é essa manhã

Como cana cidreira nas campinas

Rios que riscam o horizonte do amor

Sol que aquece as brasas das estrelas


Clavio  Juvenal Jacinto