Nasci no outono... Estação das
frutas.



Talvez eu esteja no outono da
vida.



Quando eu estava “lá atrás”,



nunca imaginei como seria



quando estivesse aqui, agora.


Escutando uns clássicos



da música erudita, medito:



o que fiz da minha vida?



Acho que fui como uma cigarra:



só curti a vida.



Nunca pensei no inverno.


Eu nunca seria uma formiga.



Teria perdido a vida.



No pouco ou muito



da vida que me resta,



eu continuo cigarra:



ainda insisto em fazer festa.


A.J. Cardiais



31.03.2009